ENFERMAGEM E SEUS SÍMBOLOS

ENFERMAGEM E SEUS SÍMBOLOS
LAMPARINA UMA LUZ PARA OS NECESSITADOS
Loading...

Pesquisar este blog

quarta-feira, 18 de julho de 2012

O que são hérnias cerebrais?

Hérnias cerebrais são hérnias caracterizadas pelo avanço do tecido encefálico, líquido cefalorraquidiano (ou líquor) e vasos sanguíneos para cavidades cranianas não originais, para o exterior da caixa craniana ou para o forame magno (abertura do osso occipital localizada no centro da fossa posterior do crânio que conecta o cérebro com a medula espinhal).

Quais são as causas das hérnias cerebrais?

As hérnias cerebrais, em geral, são um efeito colateral do aumento da pressão intracraniana, mas algumas vezes ocorrem por um defeito congênito da formação do cérebro (encefalocele). A hipertensão intracraniana pode ocorrer por um aumento da massa cerebral (hematomas, hidrocefalia, abscessos, tumores, etc.), sendo agravada pela presença de um edema cerebral associado ou por fatores que atuem de forma difusa, como anóxia e processos inflamatórios.

Quais são os sinais e sintomas das hérnias cerebrais?

Os sintomas da hipertensão intracraniana dominam o quadro clínico das hérnias cerebrais. Eles se caracterizam basicamente por cefaleia que envolve toda a cabeça, vômitos em jato e edema de papila. Além dessa tríade clássica, podem ocorrer confusão mental ou coma, crises convulsivas e sinais deficitários localizados, de acordo com a área atingida pela lesão como, por exemplo, hemiplegia, afasia e hemianopsia. Devido a esse aumento da pressão intracraniana, quase sempre o suprimento sanguíneo de parte do cérebro é interrompido, levando à morte.

Como o médico diagnostica as hérnias cerebrais?

O diagnóstico de uma hérnia cerebral se baseia tanto na história clínica do paciente, quanto no exame neurológico. Os sintomas de hipertensão endocraniana servem como um indicativo. A pressão intracraniana pode ser medida por meios objetivos. Os exames de imagem, sobretudo a ressonância magnética, ajudam substancialmente no diagnóstico.

Como o médico trata as hérnias cerebrais?

As hérnias cerebrais são uma emergência médica e, com o fim de neutralizar ou prevenir o efeito delas, o médico deve procurar diminuir a pressão intracraniana e a inflamação no cérebro. Ele procura fazer isso por vários meios, tais como a colocação de dreno para extrair o líquido, se for o caso; uso de corticosteroides, para reduzir o edema; medicamentos para eliminar líquidos do corpo, como manitol ou diuréticos; intubação traqueal e aumento da frequência respiratória para reduzir os níveis de dióxido de carbono no sangue; extração (geralmente cirúrgica) do sangue que esteja elevando a pressão intracraniana.

Como evoluem as hérnias cerebrais?

A evolução das hérnias cerebrais depende da sua natureza e da sua causa, bem como do lugar no cérebro em que a hérnia se apresentou. Muitas vezes, uma hérnia cerebral causa um acidente cerebrovascular grave, podendo haver danos a partes do cérebro que controlam a respiração e o fluxo sanguíneo e levar a problemas neurológicos e ao coma irreversível. Se as hérnias não forem tratadas com urgência, a morte é bastante provável.

sexta-feira, 10 de fevereiro de 2012

Enfermeiro com habilidades em informática é aposta do HIMSS

Sociedade de sistemas de gestão e informação dos EUA lança programa de aconselhamento para profissionais de enfermagem envolvidos com projetos de TI

O Healthcare Information and Management Systems Society (HIMSS) lançou o eNurse Mentoring Program, que é projetado para encorajar o diálogo entre iniciantes na carreira de enfermagem com ênfase em informática, os que estão no meio da trajetória, e os seniores.

Anunciada como uma forma de promover a colaboração entre os serviços de carreira do HIMSS e os mais de 3.500 membros da comunidade do HIMSS, chamados de “nurse informaticists” (enfermeiros com habilidades em informática), o programa se esforçará pra responder as dúvidas dos enfermeiros que estão desempenhando um papel maior em projetos de TI.

“Muitas empresas estão implementando registros eletrônicos de saúde e há desafios. Parte do foco do “enfermeiro em informática” é tentar fazer com que o sistema de saúde em TI funcione de maneira que não comprometa o fluxo de trabalho atual dos médicos, razão pela qual são frequentemente convocados para liderar projetos, bem como treinar os médicos e ajudar na seleção do sistema”, afirmou o vice-presidente de profissionais de informática do HIMSS, Joyce Sensmeier.

Sensmeir observou que esses enfermeiros têm em conjunto as habilidades do contato diário com pacientes, como a tecnologia pode melhorar os resultados dos pacientes e o que é necessário para tornar a implementação de TI em Saúde bem-sucedida do ponto de vista clínico.

Para seguir com o programa, o HIMSS lançou um website onde será publicada uma pergunta por mês. Os “enfermeiros de informática” com mais experiência e outros profissionais que trabalham em instituições acadêmicas e empresas de TI responderão a elas. Esses mentores compartilharão seus conhecimentos sobre tudo, desde a melhor maneira de gerir as questões específicas que surjam durante um projeto de TI, até aconselhamento sobre educação e cursos de formação que os enfermeiros possam fazer para melhorar suas habilidades e suas carreiras.

“A ideia é ter um lugar onde nossos membros de enfermagem de informática possam buscar conselhos em relações às questões que enfrentam”, afirmou Sensmeier.

Para a diretora sênior de serviços de carreira do HIMSS, Helen Figge, o site será uma ferramenta valiosa para apoiar os enfermeiros à medida que sobem para cargos executivos nas organizações de saúde. Ela também disse que o site é uma das muitas iniciativas e que planejam outras oportunidades de aconselhamento no futuro, incluindo reuniões cara a cara, webinários e seminários que ajudarão os profissionais em enfermagem de informática troquem ideias.

No ano passado, o HIMSS publicou a pesquisa Nursing Informatics Workforce Survey, que revelou que os profissionais de “enfermagem de informática” têm uma papel importante do desenvolvimento de projeto de TI. Na implementação de sistemas, a profissão foi listada como de maior responsabilidade para 57% dos questionados. Em 2007 esse número era de 45%.

A pesquisa também descobriu que 77% dos entrevistados foram incluídos em projetos de documentação clínica, e 62% com registros médicos eletrônicos (EMR) ou registro eletrônico de saúde (EHR), que não foram listados no topo da lista em 2007. Outros sistemas listados foi a ordem de entrada computadorizada médica (CPOE) com 60% e sistema de informação clínica, com 58%.

O HIMSS lançou recentemente um comunicado de posicionamento no qual a organização encoraja o setor público e privado a criar iniciativas que promovam a capacidade de enfermeiros na melhor integração de TI de saúde nos cuidados clínicos.

quarta-feira, 25 de janeiro de 2012

Alguns anti-hipertensivos podem aumentar o risco de gota, em estudo do BMJ

Bloqueadores dos canais de cálcio e losartan estão associados a um menor risco de gota entre pessoas com hipertensão arterial. Já os diuréticos, bloqueadores β, inibidores da enzima conversora da angiotensina (IECA), bloqueadores dos receptores da angiotensina II não-losartan podem aumentar o risco de ter a doença.

Para determinar as relações independentes entre o uso de medicamentos anti-hipertensivos e o risco de gota entre pessoas com hipertensão arterial foi realizado um estudo caso-controle publicado pelo British Medical Journal (BMJ).

Depois dos ajustes estatísticos necessários, os resultados mostraram que os bloqueadores dos canais de cálcio e o losartan estão associados a um menor risco de gota entre pessoas com hipertensão arterial. Já os diuréticos, bloqueadores β, inibidores da enzima conversora da angiotensina e os bloqueadores dos receptores da angiotensina II não-losartan estão associados a um risco aumentado para esta patologia.